A Universidade de Essex, na Inglaterra, planeja construir a piscina mais funda do mundo.

A piscina será usada para pesquisas sobre condições de vida em viagens espaciais, treinamento de astronautas e estudos de resistência humana.

Treinamentos avançados em mergulho, sobretudo para a indústria petrolífera, investigações em fisiologia marinha e humana e monitoramento ambiental seriam outros temas que poderiam utilizar a piscina como laboratório ou campo de provas.

Com 50 metros em comprimento e profundidade, a estrutura superaria a piscina de treinamento de 12 metros da NASA, em Houston (EUA).

Para comparação, uma piscina olímpica oficial tem 5 metros de profundidade.

A piscina mais funda do mundo atualmente, chamada Y-40, tem 42 metros de profundidade e fica em um hotel na Itália.

O custo da empreitada da nova piscina, estimado em 40 milhões de libras (R$ 200 milhões), seria dividido entre a universidade de Essex e a empresa Blue Abyss.